Nem todos os divórcios são fáceis, e reconstruir uma família, menos … bem, haverá atritos entre casais novos e novos, e se houver crianças envolvidas, pior. Todos nós conhecemos histórias em que os padrastos se comportam mal com crianças e essa é uma possibilidade que existe e pode ocorrer.

No entanto, só depende dos adultos que um novo relacionamento funcione e não afete os mais inocentes da união: os filhos.

Assim, para todos aqueles que acreditam que nunca será possível montar uma família bonita e harmoniosa após o divórcio, este futuro padrasto quis contar sua história através das redes sociais e, sem dúvida, surpreendeu milhares de usuários.

“Não, nós não somos um casal do mesmo sexo, mas compartilhamos uma filha”, escreveu o padrasto da pequena Willow na postagem no Facebook, que foi compartilhada mais de 120 mil vezes.

 

“David é o ex-marido de Sarah e eu sou o noivo”, diz sua publicação. “Nós nos tornamos uma família … pelo bem de nossos filhos para conhecer o poder do amor. Eu não só ganhei uma filha, ganhei um irmão e uma melhor amiga. Obrigado Sarah por deixar tudo isso acontecer!

Não há dúvida de que registrar a dureza e não guardar ressentimentos pode gerar belos elos entre as famílias, e isso ficou plenamente demonstrado nas fotografias tiradas por Sarah, a mãe da menina, pouco antes de uma das danças de seus filhos.

 

Neles ele retratou sua filha com seus dois pais, que posaram exatamente como eles são: verdadeiros amigos e pais.

 

Sem dúvida, essa família aprendeu a se importar mais com seus filhos do que com a maneira como a sociedade ensinou como os pais, o ex etc. devem se comportar. E de acordo com o padrasto, o pai biológico será sempre bem-vindo em sua casa.

“Ele fica em nossa casa quando ele vem nos visitar, porque a família é sempre bem vinda. Ele não é um estranho, ele é e sempre fará parte da minha vida pelo simples fato de compartilharmos a mesma filha. Willow Grace, você é amado por tantas pessoas neste mundo e seus pais amam você!”, escreveu Dylan.

Traduzido e adaptado por A Soma de Todos os Afetos, via UPSOCL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *