Otan diz que vai dar mais ajuda à Ucrânia, mas sem escalar guerra

(FOLHAPRESS) - Dizendo que a Europa vive um "novo normal" com a agressão russa à Ucrânia, a Otan (aliança militar ocidental) prometeu mais ajuda militar a Kiev. Mas não sinalizou movimentos que pudessem provocar a Rússia, sendo vistos como uma escalada no envolvimento no conflito.

"Temos a responsabilidade de assegurar que o conflito não escale", disse o secretário-geral, Jens Stoltenberg, referindo-se ao risco de uma Terceira Guerra Mundial.

Ele advertiu a China a não apoiar Vladimir Putin, seu aliado, e disse que a ditadura de Belarus tem de parar de ser "cúmplice" de Moscou na guerra.


Foto de menina ucraniana com arma na mão viraliza nas redes sociais

Oleksii Kyrychenko, um fotógrafo de Kiev, decidiu compartilhar imagens da sua filha chupando um pirulito e com uma arma na mão para chamar a atenção do mundo para a guerra na Ucrânia.

A imagem cuja descrição é "menina com doces" foi compartilhada no Facebook e Instagram do pai da criança de nove anos.

Nas redes sociais, o pai explica que a imagem é encenada, que a arma que a menina carrega é sua e que não está carregada.

"Tirei esta foto para chamar a atenção do mundo para a agressão russa na Ucrânia", explica nos comentários da publicação.

A fotografia, que apesar de encenada representa os danos que estas crianças sofrerão ao viverem esta guerra, foi inclusive compartilhada pelo ex-presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, no Twitter.

Oleksii já tinha compartilhado uma imagem semelhante da filha dois dias antes da invasão russa à Ucrânia. Na legenda dessa imagens dizia: "Apoiem a Ucrânia".

Pelo menos 79 crianças já morreram desde o início da invasão, que já dura há 17 dias, e mais 100 ficaram feridas.


Doadores reservam Airbnb na Ucrânia só para ajudar anfitriões durante a guerra

Segundo a CNN americana, o movimento é parte de uma ideia criativa para arrecadar dinheiro para ucranianos sitiados que precisam de assistência financeira, enquanto as forças russas bombardeiam seu país e cortam serviços básicos de infraestrutura.

(FOLHAPRESS) - Os anfitriões do Airbnb na Ucrânia estão tendo seus imóveis reservados por pessoas que não pretendem visitar o país. Segundo a CNN americana, o movimento é parte de uma ideia criativa para arrecadar dinheiro para ucranianos sitiados que precisam de assistência financeira, enquanto as forças russas bombardeiam seu país e cortam serviços básicos de infraestrutura.

A ideia tomou fôlego nos últimos dias. Nas últimas quarta (2) e quinta-feira (3), hóspedes do mundo todo reservaram 61 mil noites na Ucrânia, segundo um porta-voz do Airbnb.

Como a intenção é ajudar os ucranianos o mais rapidamente possível, os interessados em realizar essa doação inusitada têm feito reservas e efetuado o check-in em datas próximas. De forma geral, o Airbnb emite a ordem de pagamento para o anfitrião 24 horas após o início da hospedagem.

A plataforma de aluguel de hospedagem também tem servido para que estrangeiros mandem mensagens de apoio aos anfitriões ucranianos, que costumam responder em agradecimento.

Em muitos casos, os próprios responsáveis pela locação já não estão mais em suas casas. Diante da dificuldade de permanecer na sua própria cidade frente à ameaça russa, parte dos anfitriões já deixou Kiev, por exemplo, com toda a família.

Nem tudo, porém, é solidariedade e compaixão diante da guerra. Já há alertas para que os interessados em colaborar se certifiquem da existência do imóvel e do anfitrião antes de fazer uma reserva, porque golpistas poderiam se aproveitar do momento para enganar doadores.
Uma das dicas é verificar se o local já é alugado há bastante tempo, bem como checar o perfil detalhado de quem está oferecendo a própria casa ou apartamento.

Isso é relativamente fácil em alguns casos. Pessoas que visitaram a Ucrânia no passado e se hospedaram por meio do Airbnb têm ajudado diretamente seus antigos anfitriões, fazendo locações por uma semana inteira, por exemplo.

No fim da tarde deste sábado (5), a plataforma oferecia mais de 300 acomodações em Kiev para dois dias no próximo fim de semana. Uma cama em um albergue, com banheiro compartilhado, custava a partir de R$ 46 a noite. Já um apartamento luxuoso, para cinco hóspedes, na região central da capital ucraniana, cobrava pouco mais de R$ 13 mil pela noite.

O Airbnb anunciou que está oferecendo moradia temporária e gratuita para até 100 mil ucranianos que estão fugindo por causa da invasão russa em países como Alemanha, Polônia, Romênia e Hungria. Na quinta-feira, a empresa também interrompeu suas operações na Rússia e na Belarus, à medida que as sanções de países do Ocidente se acumulam contra Moscou.


Mais de 5 mil manifestantes antiguerra já foram detidos na Rússia

Manifestantes contrários à invasão militar da Ucrânia pela Rússia voltaram às ruas em várias cidades russas, hoje (28), para protestar contra a ação coordenada pelo presidente russo Vladimir Putin.

Segundo a organização não-governamental OVD-Info, as forças policiais russas voltaram a reprimir os atos, “detendo cidadãos de forma arbitrária”. De acordo com a entidade, já passa de 5.000 o número de pessoas detidas em toda a Rússia, desde quinta-feira (24), por protestar contra a guerra.

Até as 14 horas (horário de Brasília) a OVD-Info ainda não tinha concluído seu balanço das prisões efetuadas neste domingo, mas já contabilizava cerca de 900 detenções. A ONG vem divulgando, diariamente, em seu site, relações com os nomes dos manifestantes detidos por protestar contra a invasão da Ucrânia.

Na quinta-feira, dia em que Putin declarou guerra à Ucrânia e as forças militares russas iniciaram o ataque ao país vizinho, o Ministério de Assuntos Internos da Rússia divulgou um comunicado informando que havia recebido informações sobre a realização de “eventos públicos não autorizados” em várias partes do país, e que tomaria todas as medidas necessárias para “manter a lei e a ordem”.

“O Ministério de Assuntos Internos da Rússia declara que quaisquer ações provocativas, agressões contra policiais, descumprimento de seus requisitos legais serão imediatamente suprimidas. As pessoas que cometerem tais crimes serão detidas e processadas”, disse o ministério, pedindo que os cidadãos russos se abstivessem de participar dos protestos. “Não sucumba a pedidos de ações ilegais, avise seus parentes e amigos menores de idade contra a participação em eventos não autorizados e não comprometa sua segurança".


Boris Johnson acusa Putin de 'crime de guerra' e pede voto contra Rússia na ONU

(UOL-FOLHAPRESS) - O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, acusou o presidente russo, Vladimir Putin, de cometer "crime de guerra" e pediu aos Estados-membros da ONU que condenem a invasão da Ucrânia por parte da Rússia.

"O que já vimos do regime de Vladimir Putin no uso de munições contra civis inocentes, na minha opinião, já se qualifica como crime de guerra", disse Johnson ao parlamento britânico, nesta quarta-feira (2).

O Reino Unido alerta há dias que Putin e seus comandantes podem ser investigados pelo Tribunal Penal Internacional (TPI) de Haia, que já recebeu pedidos para abertura de processo.

Johnson também fez um apelo para a votação na Assembleia-Geral da ONU, prevista para esta quarta-feira, em Nova York.

"Pedimos a todas as nações que se unam a nós para condenar a Rússia e exigir que Putin leve seus tanques de volta para casa", afirmou.

"Se, em vez disso, Putin redobrar seus esforços, continuaremos aumentando a pressão econômica", concluiu Johnson.


Governo ucraniano pede à Rússia que não destrua Catedral de Santa Sofia, em Kiev

A Embaixada da Ucrânia no Vaticano pediu nesta terça-feira (1) ao governo da Rússia que não destrua a Catedral de Santa Sofia, em Kiev, o que poderá acontecer nas próximas horas, de acordo com informações recolhidas pelos serviços de inteligência ucranianos.

"Segundo dados dos serviços de inteligência, os russos estão preparando um ataque aéreo contra a Catedral de Santa Sofia, em Kiev, Patrimônio Mundial da Unesco", escreveu a embaixada em sua conta no Twitter, afirmando que o templo, do século 11, é "a pérola da Ucrânia".

"APELAMOS AOS RUSSOS: NÃO COMETAM ESSE CRIME!!!", completou a delegação diplomática, em um pedido desesperado nas redes sociais.

A situação em Kiev está se complicando com o passar das horas, e seus habitantes temem que a qualquer momento o Exército russo lance um ataque à capital da Ucrânia, cujo cerco tem sido cada vez mais restrito desde o início da invasão russa, na última quinta-feira (24).
Portal R7


China diz estar pronta para ajudar no cessar-fogo na Ucrânia

Mudança de postura do país vem depois de ligação entre ministros das Relações Exteriores

China foi um dos 3 países a se abster da votação na resolução da ONU, que condena a invasão russa Poder360 01.mar.2022 (terça-feira) - 14h53

A China sinalizou nesta 3ª feira (1.mar.2022) que está disposta a ajudar na busca de um cessar-fogo na Ucrânia. A guerra no país já dura 6 dias.

Pequin disse “estar extremamente preocupada com os danos aos civis”. O governo chinês afirmou ainda que está “profundamente entristecido” com a guerra entre os 2 países.

Os ministros das Relações Exteriores da China, Wang Yi, e o da Ucrânia, Dmytro Kuleba, conversaram por telefone. Eis a íntegra (em chinês, 410 KB) do comunicado.

“A Ucrânia está disposta a fortalecer as comunicações com a China e espera que a China desempenhe um papel na realização de um cessar-fogo”, disse um comunicado do governo chinês.

O comunicado destaca que a posição da China é pela “soberania e integridade territorial de todos os países”.

O movimento da China é uma mudança de postura já que o país se absteve em votação da resolução da ONU que condenada o ataque.

Fonte: Poder360


Você voaria? Avião elétrico de passageiros se aproxima do primeiro voo

O primeiro avião elétrico de passageiros poderá estar a poucas semanas de distância do seu primeiro voo. Este avião elétrico, de nome Alice, foi desenvolvido pela empresa israelita Eviation e completou o teste dos motores na semana passada, conta a CNN.

O Alice tem capacidade para nove passageiros e está equipado com uma bateria semelhante a um carro elétrico ou celular, o que lhe dá uma autonomia de cerca de uma hora. Este avião consegue atingir uma velocidade máxima de cerca de 460km/h.

O objetivo da Eviation é continuar desenvolvendo este avião para que, daqui a 7 ou 10 anos, seja possível realizar voos com 20 a 40 passageiros.