Programa inédito vai atender 100 mil famílias que vão escolher o que comprar

Os primeiros cartões do Mais Social começaram a ser entregues nesta terça-feira (13) pelo Governo do Estado. Coordenado pela Sedhast (Secretaria de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho), o programa de combate à vulnerabilidade social e insegurança alimentar vai atender 100 mil famílias carentes de todos os 79 municípios de Mato Grosso do Sul com R$ 200 mensais para compra de alimentos e produtos de higiene.

https://youtu.be/eRsFF0OezaE

Nesta etapa de entregas, 10 mil famílias de todo o Estado serão beneficiadas. Para marcar o início dos repasses, o governador Reinaldo Azambuja e a secretária Elisa Nobre (Sedhast) reuniram 80 famílias de Campo Grande em duas cerimônias simbólicas, uma no Jardim Tijuca e outra no Noroeste. "Primeira vez que vou receber um apoio financeiro do Governo. Estou desempregada e vai me ajudar muito", disse Basília dos Santos, de 58 anos.

Ao entregar individualmente os envelopes, Reinaldo Azambuja explicou como deve ser feita a utilização dos cartões. “Cuide bem desse cartão, pois com ele você pode comprar o que quiser e onde quiser, no hipermercado ou na venda do seu bairro. Tem mais de 7 mil estabelecimentos credenciados. A escolha do que comprar, um óleo, um macarrão, um pacote de bolacha ou de arroz, é sua”, destacou o governador.

A estimativa do Governo do Estado é investir até R$ 240 milhões no Mais Social todos os anos. O programa será permanente. Já a participação de cada beneficiário nele está limitada a 24 meses, podendo ser prorrogada. Para receber o benefício, a pessoa deve seguir diversas regras, como ingressar em cursos profissionalizantes e manter crianças na escola. “O objetivo é auxiliar as pessoas que mais precisam”, reforçou Reinaldo Azambuja.

Segundo Elisa Nobre, as entregas dos cartões seguirão ao longo dos próximos dias. "E também continuamos com o trabalho de cadastramento, cruzamento de dados e as visitas nas casas. Estamos trabalhando com novos cadastrados e também com cadastrados que estamos fazendo a transição do Vale Renda para o Mais Social", explicou a secretária da Sedhast.

Um dos idealizadores do Mais Social, o secretário Eduardo Riedel (Infraestrutura) destacou o apoio às famílias na pandemia. "A vida da gente mudou, de um jeito ou de outro. Cada um aqui ficou com um sentimento de desamparo e necessidade. E ao longo desse ano (de pandemia), construímos um trabalho pensando em vocês. Esse cartão nada mais é do que um apoio para vocês irem ao mercado comprar aquilo que foi mais necessário", afirmou.

O cartão veio em uma boa hora. Vai me ajudar na compra de comida, que é o principal", disse Paloma Dantas, de 27 anos, mãe de um filho de 5.

Também participaram das solenidades de entrega dos cartões a primeira-dama do Estado, Fátima Azambuja, os deputados Paulo Corrêa (presidente da Assembleia Legislativa), Rinaldo Modesto e Lucas de Lima; os secretários Sérgio de Paula (Casa Civil), João César Mattogrosso (Cidadania e Cultura) e Maria Cecília (Educação); e o prefeito de Ponta Porã, Hélio Peluffo.

Bruno Chaves, Subcom / Fotos: Chico Ribeiro


Governador entrega 48 viaturas e lança programa que visa reduzir criminalidade no Estado

Para reduzir a criminalidade, o governador Reinaldo Azambuja entregou 48 novas viaturas e lançou nesta segunda-feira (12) o programa OCOP-PMMS (Obtenção de Capacidade Operacional Plena) da Polícia Militar, que vai ampliar o número de viaturas na região metropolitana de Campo Grande. A intenção é tornar o atendimento mais rápido à população, em diligências nas sete regiões da cidade. Também haverá uma coordenação e monitoramento dos veículos em tempo real.

https://youtu.be/N6UIm1lkQiE

A primeira fase do programa será feita em Campo Grande e depois implantado nas cidades do interior do Estado. Na Capital vai aumentar de 17 para 48 viaturas fazendo as patrulhas nas sete regiões da cidade, que serão divididas em 37 setores, para atendimento mais rápido e detalhado em cada local.

“Lançamos o programa primeiro aqui na Capital e do entorno, que se trata de 1.035.000 pessoas que serão beneficiadas. Nós triplicamos o número de viaturas na cidade, para ter presença de mais policiais rodando 24 horas, sendo monitoradas e acompanhadas pelo Ciops por meio de GPS, em tempo real”, afirmou o governador Reinaldo Azambuja.

O governador destacou que depois vai levar o programa para as maiores cidades do Estado. “Será a presença maior da polícia para dar mais segurança ao cidadão de bem”. Ainda ponderou que em breve chegarão mais 465 novas viaturas e que também autorizou a compra de mais dois helicópteros para Campo Grande e Dourados. “Também vamos comprar pistolas, coletes, uniformes e equipamentos”.

O comandante da Polícia Militar, o coronel Marcos Paulo Gimenez, ressaltou que esta iniciativa vai reduzir os índices de criminalidade. “Com disciplina, planejamento e efetivo conseguiremos atingir bons resultados, não será apenas quantidade, mais qualidade no atendimento”.

Atendimento rápido

O comandante do Policiamento Metropolitano, coronel da PM André Henrique de Deus Macedo, disse que as radiopatrulhas começam as atividades a partir de hoje, com a distribuição pela cidade, tendo atuação diária de 90 policiais. Ao todo serão 500 (policiais) disponíveis para atuar no programa.

Caso a ocorrência da radiopatrulha precisar de reforço, serão enviadas ao local uma “rede de proteção”, podendo dispor de uma Força Tática, uma Unidade Especializada ou até o Batalhão de Operações Especiais.

“Um programa novo e inédito, que reúne investimentos, integração e inteligência, para que possamos prevenir crimes e as ocorrências que tiverem problemas que nós possamos reprimir com celeridade. A intenção é levar segurança não apenas para o centro, mas também aos bairros, com um novo sistema”, descreveu o secretário estadual de Segurança, Antônio Carlos Videira.

Para ampliar a frota foram investidos R$ 9.062.400,00 na aquisições de veículos, com recursos do Fundo Estadual de Segurança. Além de outros R$ 600 mil para reforma e compra de equipamentos para Sala de Situação e COPOM (central que recebe as chamadas e aciona as viaturas).

Coordenação e monitoramento

Para coordenar as viaturas e tornar os atendimentos mais ágeis, haverá a coordenação dos veículos por meio de um Controle Operacional, que ficará na sede do Comando-Geral da PM. Em uma sala haverá o monitoramento dos carros, acionando cada um quando houver ocorrência.

Neste mesmo local haverá a avaliação da situação. Nas ocorrências mais graves será enviado reforço para a operação. Também foi criado um “Gabinete de Gestão de Crise”, em uma sala específica para organizar uma ação especial. “Muitas vezes uma ocorrência simples se torna mais complexa, como por exemplo, quando se faz reféns na hora da prisão”, explicou coronel Macedo.

Para melhorar a fiscalização e controle das atividades, o programa prevê mais oficiais nas ruas, que pela capacidade e experiência, vão qualificar este atendimento à população. Também está previsto que os policiais possam adotar medidas legais já no local do delito, como na formalização de TCO (Termo Circunstanciado de Ocorrência), em crimes menores.

O Comando de Policiamento Metropolitano da Capital tem uma abrangência para atingir 1.035.833 pessoas, que incluem as cidades de Campo Grande, Bandeirantes, Corguinho, Jaraguari, Ribas do Rio Pardo, Rochedo, Sidrolândia e Terenos.

Participação da comunidade

Seguindo a filosofia da polícia comunitária, o programa quer a participação da comunidade no trabalho da PM, por meio de um contato maior com os conselhos comunitários de segurança e ampliação do disque-denúncia (181), onde os moradores poderão denunciar os crimes e delitos do seu bairro.

“Para facilitar este trabalho em conjunto, a intenção é evitar a troca de policiais do seu setor, já que assim facilita o contato com os moradores, além deles já terem conhecimento da área, pois vão atuar por longo período no local”, destacou Macedo.

Em função deste atendimento mais qualificado, a PM prevê treinamento e curso aos policiais, para dispor de “excelência” nas ações profissionais. Esta integração ainda vai contar com uma “padronização” visual em relação a uniformes, viaturas e estrutura dos batalhões. “O cidadão precisa identificar o policial”.

O programa ainda terá um cuidado com as condições de trabalho dos policiais, com atenção a sua saúde física e mental, que inclui a alimentação saudável durante o turno e até o acompanhamento quando o profissional estiver indo para reserva.

A solenidade ocorreu na sede do Comando-Geral da Polícia Militar. Além do governador, participaram o deputado federal Luiz Ovando, os deputados estaduais Paulo Correa (presidente da Assembleia Legislativa), coronel David, Barbosinha e Antônio Vaz, os secretários Antônio Carlos Videira (Segurança Pública), Sérgio de Paula (Casa Civil) e João Cesar Mattogrosso (Cidadania e Cultura), além de vereadores de Campo Grande.

Subcom


Presidente vem a evento no MS e não faz uso da máscara

Jair Bolsonaro veio a em Ponta Porã (MS) para inauguração da estação de radares.

https://www.youtube.com/watch?v=3cxGs4JH5ho


Ministra Tereza Cristina fala sobre as 150 mil doses a mais de vacinas para MS

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Saúde, vai receber do Ministério da Saúde 150 mil doses da vacina contra COVID-19 da Janssen para imunizar os 13 municípios que fazem fronteira com outros países em Mato Grosso do Sul. A iniciativa faz parte de estudo do VEBRA COVID-19 (Vaccine Effectiveness in Brazil Against COVID-19) que vai pesquisar a efetividade e impacto da vacinação em massa na região de fronteira.

Será avaliado o impacto de vacinação em massa, em pessoas entre 18 a 50 anos em 13 cidades de fronteira do estado de Mato Grosso do Sul, após 14 dias de dose única da Janssen. O objetivo é estimar efetividade de um regime de uma dose da Janssen redução de riscos de forma sintomáticas, graves e óbitos por COVID-19 após 14 dias.

Os municípios que vão fazer parte do estudo de vacinação em massa são Mundo Novo, Japorã, Sete Quedas, Paranhos, Coronel Sapucaia, Aral Moreira, Ponta Porã, Antônio João, Bela Vista, Caracol, Porto Murtinho, Corumbá e Ladário.

Com informações da SES

https://www.youtube.com/watch?v=wbxBgy0X1Sk


A vacina cubana. O que se sabe até agora

Vacina Abdala contra a Covid-19 tem taxa de eficácia de 92%, segundo Cuba, o primeiro país da América Latina a produzir duas vacinas que alcançaram o estágio três dos testes.

Mesmo assim, o impacto do coronavírus devastou a economia da ilha e, na segunda-feira (21), as autoridades de saúde cubanas reportaram 1.561 novos casos diários, o maior aumento diário desde o início da pandemia.

Até o momento, Cuba registrou um total de 169.365 casos de Covid-19 e 1.170 mortes pela doença. As informações foram extraídas da CNN Brasil.

https://www.youtube.com/watch?v=8_XLN9KN0n4


Essa história emocionou e vai ficar marcada na história do SBT MS

https://www.youtube.com/watch?v=SjfoLUDDioI

Assista a reportagem anterior com a manicure:

https://www.youtube.com/watch?v=Ia4FefSwNfE


Manicure humilde visita o SBT MS e veja o que aconteceu

https://www.youtube.com/watch?v=Ia4FefSwNfE


30 crianças sem a cadeirinha em MS

https://www.youtube.com/watch?v=H9VwcrVCb8Q