Há quase um ano, rede de idiomas Wizard tenta desvincular seu nome do Carlos Wizard

Pela terceira vez em um ano, a escola de idiomas Wizard precisou divulgar um comunicado para dizer que não tem relação com o empresário Carlos Wizard, que foi à CPI nesta quarta (30).

De fato, Wizard é o fundador da rede que leva seu nome, mas vendeu o negócio por R$ 2 bilhões para a multinacional Pearson em 2013.

No ano passado, quando o bilionário foi convidado para ocupar um cargo no Ministério da Saúde, a empresa colocou um aviso fixo em sua página na internet explicando que o vínculo não existia. Meses depois, o Tribunal de Justiça de São Paulo divulgou um comunicado, a pedido da Pearson, afirmando que o empresário não tinha qualquer ligação societária ou relação com a rede de escolas e a marca Wizard.

Nesta quarta, a empresa fez um novo comunicado oficial. Desta vez, foi mais direta no esforço de se desvincular do fundador: "a Wizard pertence à Pearson desde 2014 e nosso posicionamento é muito diferente do de Carlos Martins", escreveu. Enquanto isso, pipocavam nas redes sociais chamamentos para boicotes à marca que ainda leva o nome do empresário.

A confusão em torno do nome tem um contexto curioso. Carlos Wizard Martins não nasceu com o 'Wizard' na certidão.

É mais comum no mundo dos negócios que o nome do empresário batize o empreendimento. Mas com Carlos Martins foi o contrário. A rede de idiomas se incorporou ao seu nome.

Para conseguir mudar os documentos, ele disse ao juiz que, com um nome tão comum quanto Carlos Martins, ele teria dificuldades para desenvolver seu negócio, porque há muitos no mundo. Foi uma homenagem ao "Mágico de Oz" ("The Wizard of Oz", em inglês).

Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo em 2014, o bilionário disse que nome foi impresso em seus documentos e nos dos filhos. Disse também que em seu túmulo vai estar escrito Carlos Wizard Martins.

FOLHAPRESS


George Clooney revela obsessão por Brad Pitt em vídeo cheio de humor

George Clooney participou num vídeo para promover uma ação de angariação de fundos para a sua fundação, a The Clooney Foundation for Justice - dedicada a abusos de direitos humanos - em parceria com a Omaze, e as imagens viralizaram. Isto porque o ator decidiu prender atenções ao abrir portas de uma divisão especial de sua casa.

O ator protagoniza um vídeo cheio de humor, intitulado 'George Clooney: o pior companheiro de quarto pandêmico do mundo', no qual mostra um quarto com várias peças com o rosto de Brad Pitt estampado.

Esta campanha para a ação de caridade tem como prêmio uma viagem para duas pessoas a Lake Como, na Itália, e a visita à propriedade de Amal e George Clooney.

Veja abaixo o vídeo.
https://www.youtube.com/watch?v=ECxeA6OWpcA


Beyoncé presta homenagem a Paulo Gustavo em site oficial: 'Descanse em paz'

Beyoncé incluiu um tributo a Paulo Gustavo em seu site oficial. O ator e humorista morreu nesta terça-feira (4) de Covid-19, após 53 dias de internação.

"Paulo Gustavo, descanse em paz" é a mensagem deixada na página inicial do site de Beyoncé. Ao lado, uma foto do ator e humorista.

A cantora também costuma usar a página para parabenizar aniversariantes e celebrar datas marcantes e especiais. Antes de Paulo Gustavo, Beyoncé usou o espaço para relembrar o aniversário de morte de James Brown, em 3 de maio, e o aniversário de 29 anos de Travis Scott, em 30 de abril.

Fã de Beyoncé, o ator chegou a ir a alguns shows da cantora. Em um deles, em 2013, em Nova York, nos Estados Unidos, Paulo Gustavo conseguiu pegar a toalha arremessada por Beyoncé na apresentação.


Pai de Britney Spears diz que ela tem demência para justificar tutela

A relação conturbada entre Britney Spears, 39, e o pai dela, Jamie, 68, ganha um novo capítulo. Ele teria indicado em um relatório médico, em 2008, que o motivo indicado para administrar os bens da cantora é que ela sofre de demência. A revelação será discutida em "The Battle for Britney" ("A Batalha por Britney", em tradução livre"), um novo documentário sobre a cantora que será lançado pela BBC.

De acordo com o The Sun, fãs da estrela pop refutam essa teoria, afirmando que alguém que se encontrasse nessas condições não seria capaz de ter uma vida artística como a de Britney. "Não há como um paciente com demência participar de turnês mundiais, fazer residências em Las Vegas, aprender 27 combos consecutivos, coreografia completa. Não, querida, isso não está acontecendo", pontua o fã Hayley Herms, um dos quais luta pelo movimento Free Britney, que visa acabar com o polêmico controle de Jamie sobre finanças, negócios e vida pessoal da cantora.

Uma outra ativista do movimento, Megan Radford, disse que alegar demência significava que Britney poderia ser colocada em uma tutela de sucessões, em vez de ser internada em uma instituição de saúde mental. Dessa forma, ela poderia continuar se apresentando e ganhando dinheiro com isso.

Ainda de acordo com a publicação, Radford foi categórica em afirmar que Britney "claramente não tinha e não tem demência", e chamou o caso envolvendo Jamie de "fraudulento". A informação sobre a vida profissional da cantora pode ser confirmada com apresentação de dados: quatro álbuns lançados, quatro turnês globais desgastantes e 248 shows em Las Vegas, nos Estados Unidos. Para o jornalista Mobeen Azhar "existem apenas duas opções", para Jamie ter preenchido o formulário de tutela da cantora dessa forma. "Britney pode ter demência. Bem, eu não sou médico, mas se for esse o caso, então o mundo não está ciente disso. Mas a outra opção é realmente mais sinistra", começou.

"Essa é a ideia de que ela não tem demência, mas a equipe da tutela sugeriu que sim, porque eles querem levar a tutela adiante. E se for esse o caso, então isso é assustador". Jamie se recusou a comentar as alegações feitas no filme. Mas ele já insistiu que está trabalhando nos melhores interesses dela e se dedica a "protegê-la". A tutela foi instituída após um tumultuoso 2007, ano em que Britney se divorciou do dançarino de apoio Kevin Federline, 43, raspou a cabeça, atacou o carro de um fotógrafo com um guarda-chuva e entrou na reabilitação. Ela também perdeu a custódia dos filhos Sean, agora com 15 anos, e Jayden, 14, e foi internada em um hospital psiquiátrico.

Na época, foi insistido que a tutela tinha o objetivo de protegê-la e impedir que as pessoas tirassem proveito dela financeiramente. Mas o documentário afirma que o advogado aprovado pelo tribunal nos últimos 13 anos, Sam Ingham, está recebendo 7.200 libras (correspondente a R$ 53.816,40) por semana pelo espólio de Britney.

Desde 2020, a cantora tem lutado para que seu pai seja destituído da chefia da tutela, em favor de um fundo independente. Ela falará publicamente sobre isso no tribunal em 23 de junho.

Um outro documentário televisivo, "Framing Britney Spears", lançado em fevereiro, trouxe novas análises sobre o caso e ao movimento #FreeBritney, iniciado por seus fãs. Parte deles acredita que ela está sendo mantida prisioneira e que estaria enviando sinais enigmáticos implorando por sua liberdade em seus perfis em redes sociais.


Jim Carrey viraliza com imitação do candidato Biden

(FOLHAPRESS) - Imitar políticos que estão no poder ou disputando eleições não é uma exclusividade brasileira, como alguns devem supor. Prova disso foi a paródia do primeiro debate dos Estados Unidos, exibida na noite deste sábado (3), no Saturday Night Live, durante episódio que marcou a estreia da 46ª temporada do humorístico.

Diante de um público restrito devido a pandemia do coronavírus, Alec Baldwin, 62, revisitou sua já conhecida versão de Donald Trump, 74. Porém, o destaque da noite ficou por conta da estreia de Jim Carrey, 58, interpretando o candidato democrata Joe Biden, 77, papel que já foi dos atores Woody Harrelson, 59, e Jason Sudeikis, 45.

Com uma fita métrica, Carrey mediu o espaço entre ele e Baldwin, zombando com a necessidade de distanciamento social em relação a Trump, diagnosticado recentemente com Covid-19. O ator também brincou com uma fala de Biden no debate ocorrido dia 29 de setembro, na qual ele mandou que o atual presidente dos Estados Unidos se calasse.

A noite foi especial não só pela estreia de Carrey, que deve imitar Biden durante toda a temporada, mas também porque foi a primeira transmissão ao vivo da atração após quase sete meses.
Chris Rock, 55, foi o responsável por abrir o programa e em seu monólogo, além de falar sobre o coronavírus, fez duras críticas a questões políticas dos Estados Unidos.

O humorista lembrou ao público que os pré-requisitos para que alguém seja presidente do país norte americano é ter 35 anos e ter nascido nos Estados Unidos. "É assim que chegamos nessa situação", disse ele. "Deveria haver algumas regras para ser o presidente. Você percebe que há mais normas em um game show do que para concorrer à presidência? Donald Trump saiu de um game show para disputar à presidência porque era mais fácil".

No discurso dele não faltaram críticas às outras esferas políticas também. "Nós concordamos nos Estados Unidos que não deveríamos ter reis, mas temos duques e duquesas dirigindo o Senado e o Congresso, tomando decisões pelos pobres, ricos decidindo por pobres. É como seu amigo lindo dando a você conselhos sobre namoro", brincou.

Ele finalizou sua participação, que apesar de dura foi bem-humorada, com uma frase do romancista e crítico social, James Baldwin (1924-1987): "Nem tudo que enfrentamos pode ser mudado, mas nada pode ser mudado até que seja enfrentado".


Michael B. Jordan quebra silêncio sobre morte de Chadwick Boseman

(FOLHAPRESS) - A morte do ator Chadwick Boseman, 43, anunciada na última sexta-feira (28), vítima de um câncer de cólon, mobilizou Hollywood. Diversos astros do cinema lamentaram a morte do protagonista de "Pantera Negra".

Após alguns dias de silêncio, o ator Michael B. Jordan, 33, com quem Chadwick contracenou diretamente no filme de sucesso da Marvel, lamentou a morte do amigo e colega de trabalho através das redes sociais na noite desta segunda-feira (31).

Com uma série de fotos dos dois, Michael B. Jordan iniciou sua declaração dizendo que ainda estava tentando entender a perda. "Tenho tentado encontrar as palavras, mas nada chega perto de como me sinto. Tenho refletido sobre cada momento, cada conversa, cada risada, cada desacordo, cada abraço... Eu gostaria que tivéssemos mais tempo", escreveu o ator.No relato emocionante, Jordan relembrou uma das últimas vezes em que conversou com o amigo.

"Você disse que estávamos para sempre ligados, e agora isso significa mais para mim do que nunca." Ele também agradeceu Chadwick por ter lhe abrido portas no início da carreira. "Quando eu tinha 16 anos você abriu o caminho para mim. Você me mostrou como ser melhor, honrar o propósito e criar um legado."Michael B. Jordan, que interpretou Erik Killmonger, primo rival do Pantera Negra, reforçou que gostaria de ter tido mais tempo com ao lado do colega.

"Você é meu irmão mais velho, mas nunca tive a chance de lhe contar ou de te dar flores enquanto você estava aqui. Vou sentir falta do presente que é compartilhar o espaço com você nas cenas. Estou dedicando o resto dos meus dias para viver do jeito que você viveu."O diagnóstico com câncer em 2016, Chadwick Boseman era reservado em relação a sua vida pessoal. Ele manteve sua batalha contra a doença longe dos holofotes, assim como o seu casamento. Segundo a revista internacional People, Chadwick e sua noiva se casaram em segredo.Se tornou público também o fato de que o ator gravou "Pantera" Negra e outros filmes de super-heróis, como "Vingadores: Ultimato", já doente, em meio a cirurgias e sessões de quimioterapia.

Com diversas cenas de ação, os filmes exigiram grande esforço físico do artista.O grito de guerra de Pantera Negra, 'Wakanda Forever' (Wakanda Para Sempre) tomou as redes sociais, com celebridades, ativistas de direitos civis e fãs postando mensagens emocionantes sobre a morte do artista. No filme de 2018, Wakanda é uma nação africana super desenvolvida e tecnológica, que não sofreu empobrecimento por ter escapado da colonização europeia.


Um adeus a Robson Gomes (Bolinha) que morreu de covid-19

Lamentamos muito a morte dele.
Mais uma vítima do Covid-19 no MS.

https://www.youtube.com/watch?v=r_p0cywYSSw

Robson Gomes fez a Caipiregua no programa O Povo na TV:
https://www.youtube.com/watch?v=U9RFpbwmyc4


Neymar cobra R$ 3 milhões por post no Instagram; veja outros famosos

O ator Caio Castro cobra R$ 600 mil por post na rede social, diz levantamento

(FOLHAPRESS) - Imagine fazer uma postagem no Instagram falando de alguma empresa ou produto e cair na sua conta quase R$ 3 milhões. E isso acontece, só que com celebridades e pessoas influentes. É o que aponta levantamento de 2019 da Hopper HQ, uma empresa americana responsável pelo agendamento de postagens para o Instagram.

Segundo o estudo, o jogador Neymar é o brasileiro que mais ganha dinheiro com o Instagram: a cada postagem paga ele receberia o equivalente a R$ 2,7 milhões.

O ator Caio Castro também aparece na lisa no 29º lugar. Segundo o levantamento da empresa, Castro fatura o equivalente a R$ 620 mil por postagem a favor de alguma publicidade.

Ronaldinho Gaúcho também figura na lista da empresa americana. Em 20º lugar, Ronaldinho ganha com o Instagram cerca de R$ 1,15 milhão de acordo com cotação atual do dólar.

Mais dois brasileiros estão entre as celebridades que mais faturam na rede social. Em 66º está influenciadora digital de moda Camila Coelho. A cada postagem patrocinada, recebe R$ 125 mil.

Gracyanne Barbosa é a 8ª do mundo na área de fitness e a 77ª dentre as celebridades da lista com faturamento em torno dos R$ 89 mil por post.

Fora os brasileiros, a lista é composta por nomes de peso como Kylie Jenner, a número 1, com mais de R$ 4 milhões por postagem. Ariana Grande vem em 2º lugar com R$ 3,75 milhões, seguida de perto pelo jogador de futebol Cristiano Ronaldo, com R$ 3,67 milhões.

Dentre os dez primeiros ainda podem ser encontrados Selena Gomez (5º), Beyoncé (7º) e Justin Bieber (10º).

Com informações do Notícias ao Minuto