Em live, Bolsonaro ignora vitória de Biden e diz que não sabe se tentará reeleição

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Horas após a projeção de vitória do democrata Joe Biden, anunciado como presidente eleito dos Estados Unidos pela imprensa do país, que consolida o resultado da votação, o presidente Jair Bolsonaro fez uma live surpresa nas redes sociais e não fez qualquer menção à eleição norte-americana, Biden ou ao presidente Donald Trump, que tentava a reeleição.

Ao lado da candidata ao Senado na eleição suplementar no Mato Grosso, capitã Fernanda, Bolsonaro falou por 30 minutos. Além de ignorar Biden, disse que ainda não decidiu se vai tentar a reeleição em 2022. O presidente, no entanto, fez um apelo a seus apoiadores para que não desperdicem o voto nas eleições para prefeito e vereador, marcadas para 15 de novembro, e lamentou que a América do Sul esteja sendo “pintada de vermelho”.

Neste domingo, Luis Arce, apoiado pelo ex-presidente Evo Morales, toma posse como presidente da Bolívia. Em dezembro do ano passado, Alberto Fernández se tornou presidente da Argentina, tendo como vice Cristina Kirchner.

No lugar de apresentar propostas para aliviar a crise, o Executivo persiste na pretensão de aprovar uma ampla reforma tributária. © Dida Sampaio/Estadão No lugar de apresentar propostas para aliviar a crise, o Executivo persiste na pretensão de aprovar uma ampla reforma tributária.
“É um apelo que eu faço a vocês. Votem. O pior voto é aquele que é neutro, que é nulo, que é branco, faz uma gracinha e não quer votar em ninguém. O voto é muito importante. E vocês estão vendo as questões no mundo, como está a política no mundo. Cada um tem sua opinião, vocês têm que discutir. Tem que ver a América do Sul, vários países estão sendo pintados novamente de vermelho”, disse Bolsonaro.

Como o Estadão/Broadcast mostrou, a interlocutores, o presidente sinalizou que vai aguardar um “quadro concreto” sobre a eleição norte-americana antes de se pronunciar sobre o resultado. A tendência, até este momento, é esperar o fim de processos judiciais movidos por Trump, que não aceita a derrota e contesta o resultado alegando, sem provas, que há fraude no processo judicial.

Como presidente, Bolsonaro disse que não pode “mudar o destino do Brasil” de acordo com o que considera que precisa ser mudado. “Não quer dizer que eu seja candidato a reeleição. Não sei se vou ser candidato a reeleição, está muito longe ainda 2022”, afirmou.

Na transmissão ao vivo, porém, o presidente aproveitou para pedir votos a políticos alinhados a ele, e anunciou que fará, a partir de segunda-feira, 9, uma live diária, às 19h, para divulgar candidatos que apoia – o que ele chamou de seu “horário eleitoral gratuito”.

“Precisamos, sim, de prefeitos afinados com aquilo que você pensa, com vereadores e, no caso, uma senadora do Mato Grosso também”, disse, em referência à capitã Fernanda. “São essas pessoas que dão força para que essas políticas sejam levadas avante no futuro”, disse

Na live, Bolsonaro declarou apoio à candidata delegada Patrícia (Podemos) na corrida pela prefeitura do Recife. Na capital pernambucana, dois candidatos da esquerda lideram. Segundo a mais recente pesquisa Datafolha, o deputado federal João Campos, do PSB, tem 31% das intenções de voto, e Marília Arraes, do PT, 21%. Delegada Patrícia aparece com 14%, em quarto lugar, atrás do ex-ministro da Educação, Mendonça Filho (DEM), com 16%.

Com o apoio à delegada Patrícia, Bolsonaro passou a referendar a candidatura para prefeito em oito cidades. Em São Paulo, está fechado com Celso Russomanno, e no Rio, com Marcelo Crivella, ambos do Republicanos. O presidente ainda tem candidatos em Manaus, Belo Horizonte, Fortaleza e Santos.

O chefe do Executivo também já pediu votos para dez candidatos a vereador, entre os quais seu filho Carlos Bolsonaro (Republicanos), que tenta mais uma reeleição no Rio, e para sua ex-asssessora Walderice Santos da Conceição, a Wal do Açaí. Ela concorre ao cargo ao legislativo municipal em Angra dos Reis com o nome de Wal Bolsonaro, e trabalhava vendendo açaí na cidade quando era nomeada no gabinete do então deputado federal.

Durante a transmissão, Bolsonaro voltou a dizer a seus seguidores que não votem em candidatos que defenderam o isolamento social como medida para evitar o contágio na pandemia do coronavírus. “Se tiver segunda onda de coronavírus, prefeitos serão importantíssimos”, disse. “Se fez barbaridade, não reeleja”, complementou.

A estreia do “horário eleitoral gratuito” promovido por Bolsonaro ocorreu na última quinta-feira, 5, em sua live semanal. Durante 22 minutos, ele pediu votos para afilhados políticos. O vídeo teve mais de 600 mil visualizações.

Na avaliação de especialistas consultados pelo Estadão/Broadcast, ao utilizar seus canais oficiais e a estrutura do governo para fazer propaganda, Bolsonaro infringe a legislação. No limite, isso pode resultar na cassação dos candidatos que forem beneficiados.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email
Veja também…