10 expressões racistas que você fala sem perceber

Palavras e expressões bastante usadas no português brasileiro podem soar inofensivas, mas carregam ideais racistas por trás

https://www.youtube.com/watch?v=E_BjYPOE3ag

Veja.com


Toffoli derruba censura contra Porta dos Fundos e Netflix

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, decidiu nesta quinta-feira atender ao pedido da Netflix e derrubou a censura imposta pelo desembargador Benedicto Abicair, da 6.ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. Sob a alegação de “acalmar ânimos”, o desembargador havia determinado a retirada do ar de um especial de fim de ano do grupo humorístico Porta dos Fundos que retrata Jesus Cristo como homossexual. O filme, disponibilizado para os usuários da plataforma, mostra Jesus como um homossexual que se envolve com Lúcifer, além de Maria trair José com Deus. A polêmica em torno da obra ganhou novos contornos após um atentado semanas atrás contra a sede da produtora do Porta dos Fundos, no bairro de Humaitá, na zona sul do Rio. Dois coquetéis molotov foram lançados contra as instalações.

Fonte: Terra


Trump diz que morte de general foi para cessar uma guerra

O presidente Donald Trump fez um pronunciamento na noite de hoje (3) em que disse que o ataque dos Estados Unidos que resultou na morte, no Iraque, do general Qassem Soleimani, um militar de alta patente do Irã, foi uma ação para parar e não para começar uma guerra. A morte de Soleimani causou tensão nesta sexta-feira entre líderes mundiais devido ao risco da escalada do conflito entre Estados Unidos e Irã.

Durante o pronunciamento, Trump classificou Soleimani como “o terrorista número 1 do mundo” e disse que o iraniano estava planejando ataques terroristas contra diplomatas e militares norte-americanos. “Sobre nossa política contra terrorista que ameaçam ou pretendem ameaçar qualquer americano, nós vamos encontrá-lo e eliminá-lo”, disse o presidente.

Trump responsabilizou Soleimani pelos ataques a alvos dos EUA no Iraque, incluindo ataques a mísseis e o ataque à embaixada em Bagdad. “Solameni perpetuou atos de terrorismo para desestabilizar o Oriente Médio pelos últimos 20 anos”.

O presidente disse que o ataque que resultou na morte de Soleimani deveria ter sido feito há muito tempo. “Muitas vidas teriam sido salvas. Recentemente Salameni liderou a repressão brutal contra protestos no Irã em que mais de 1 mil civis inocentes foram torturadas e mortas pelo governo errado.”

Trump disse ter um profundo respeito pelo povo iraniano e que não procura uma mudança de regime. “Entretanto o uso do regime iraniano de ações para desestabilizar seus vizinhos deve acabar e deve acabar agora. O futuro pertence ao povo do Irã, àqueles que procuram coexistência pacífica e cooperação, não os terroristas lordes da guerra”.

Com informação: Agência Brasil


Foto: Reproduçã

Confeiteira doa bolo para criança carente e mãe reclama: "dê algo que preste"

Uma mulher, que havia feito o pedido alegando que não tinha condições de comprar um bolo, achou a doação ruim e usou a internet para expor suas críticas marcando a benfeitora na publicação.

Depois de fazer uma doação para uma festa infantil, a confeiteira Cida Guilherme foi humilhada pela mãe da criança nas redes sociais.

De acordo com informações do portal R7, a confeiteira conta que não conhecia a mulher antes de ver sua postagem com o pedido. Cida disse também que a mãe explicou que ela e o marido estavam desempregados e pediam um bolo para não deixar o aniversário da filha passar em branco, e que só pretendiam cantar parabéns com outras quatro pessoas.

Cida entregou, além de um bolo decorado, 100 salgados e 50 doces para a mãe. No entanto, ao invés de agradecer, a mulher reclamou e disse que esperava um bolo maior e mais comida, já que havia convidado 50 pessoas para a reunião.

Ao verem a postagem, clientes, amigos e familiares de Cida saíram em defesa da confeiteira. A publicação chegou a mais de 7 mil compartilhamentos e 5 mil reações.

Depois da repercussão, a mulher que fez a publicação já excluiu sua rede social, mudou o número de telefone e não se desculpou. Porém, algumas semanas atrás uma parente dela entrou em contato com Cida para dizer que ela estava arrependida e pedia a doação de outro bolo.

Cida disse que doaria o bolo desde que a mãe levasse a criança na casa dela para que cantassem parabéns lá. A mulher não aceitou.

Trabalho social da confeiteira

A confeiteira demorou para ver a publicação porque na época tinha sofrido três paradas cardíacas e ficou 15 dias em coma.

Cida conta que sempre fez doações e montou um projeto no qual dá aulas de culinária para as crianças da sua comunidade. Atualmente o projeto está parado pois o marido de Cida, quem comprava todos os mantimentos da aula, ficou desempregado.


Pulando o muro do Trump

Classificado como “praticamente impenetrável”, pelo presidente dos Estados Unidos Donald Trump, o muro construído em sua gestão na Casa Branca, supostamente contra a imigração ilegal, separando os EUA do México, viralizou na internet nesta quarta-feira, 4. Um vídeo registrou o momento e já ultrapassou as 40 mil curtidas e 18k compartilhamentos. Tudo isso apenas no Twitter.

O jornalista mexicano J. Omar Ornelas, que publicou o vídeo escreveu: .“Este é o muro recém-substituído ao longo da fronteira dos EUA com o México”.

Com a ajuda de uma escada, um homem chega ao topo do muro. Para descer para o outro lado, ele simplesmente se apoia e escorregara pela estrutura.

O muro que custou US$ 147 milhões (R$ 617 milhões), foi visitado por Trump, em setembro deste ano. Na Época o presidente dos EUA disse que o projeto era maravilhoso, impossível de ser ultrapassado e ainda autografou a estrutura.

“Esse muro não pode ser escalado. Foi feito para absorver o calor e você pode fritar um ovo nele”, declarou a jornalistas, segundo o Los Angeles Times. “Está muito, muito quente. Se você quiser escalá-lo, precisará trazer mangueiras e água”, completou.

Com informações @catracalivre

https://youtu.be/5Kx_gG-0wQs


DiCaprio rebate Bolsonaro: Embora dignas de apoio, não financiamos ONGs

O ator Leonardo DiCaprio se pronunciou neste sábado, 30, sobre às acusações de Jair Bolsonaro em relação a queimadas na Amazônia. Na última semana, Bolsonaro afirmou que DiCaprio financia ONGs responsáveis por 'tacar fogo na Amazônia'. DiCaprio negou o financiamento do WWF, mas elogiou a organização: "Embora dignos de apoio, não financiamos as organizações visadas", em tradução livre.

Em comunicado enviado à Reuters, o ator também elogiou 'o povo do Brasil, que trabalha para salvar sua herança natural e cultural".


Taxação da energia solar pode provocar frustração semelhante à do gás veicular

[siteorigin_widget class="WP_Widget_Media_Video"][/siteorigin_widget]

(CUIDADO) Ativistas divulgam vídeo perturbador de laboratório de testes com animais na Europa

[siteorigin_widget class="WP_Widget_Media_Video"][/siteorigin_widget]

ALERTA ! IMAGENS FORTES

Macacos gritando de dor, cães e gatos ensanguentados e submetidos a testes que podem levá-los à morte. O cenário de horror revelado por um vídeo filmado por ativistas dos direitos dos animais na Alemanha chocou o mundo desta semana.

Segundo o jornal português Correio da Manhã, as imagens foram captadas secretamente no Laboratório de Farmacologia e Toxicologia em Hamburgo, na Alemanha, por um ativista que se disfarçou de trabalhador.

As imagens perturbadoras mostram macacos chorando enquanto são pendurados com ligas de metal amarradas ao pescoço. Quando não estão acorrentados e submetidos a testes, os animais são enjaulados.

Os oito minutos de vídeo mostram ainda testes realizados em cães, gatos e também coelhos.

Envenenamento proposital
Segundo a organização ‘Cruelty Free International’, os testes envolvem o envenenamento dos animais para que seja possível medir a quantidade de produto químico necessário para causar danos, de modo a que seja possível quantificar a dose ‘segura’ para os humanos.

Os efeitos são também espelhados no cruel vídeo agora divulgado. Vómitos, sangramento, febre, falência de órgãos e, nos casos mais extremos, a morte.

Os grupos de ativistas e contra a crueldade em animais pedem uma revisão das leis e punição imediata para este tipo de testes.

ATENÇÃO! IMAGENS FORTES.

[siteorigin_widget class="WP_Widget_Custom_HTML"][/siteorigin_widget]

Juiz que autorizou censura na Bienal já disse que gays são doentes

O Juiz já disse que heteros têm direito de ver gay como doente

SP (FOLHAPRESS) – O presidente do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, Claudio de Mello Tavares, é reincidente em declarações contrárias à comunidade LGBTI.

Ele é o desembargador responsável por derrubar, neste sábado (7), a liminar que impedia a Prefeitura do Rio de censurar livros na Bienal do Livro. As decisões judiciais seguem uma recomendação do prefeito Marcelo Crivella para tirar de circulação a HQ “Vingadores – A Cruzada das Crianças”. O título traz uma imagem de dois homens se beijando, completamente vestidos.

Dez anos atrás, Tavares disse que “não se pode negar aos cidadãos heterossexuais o direito de, com base em sua fé religiosa ou em outros princípios éticos e morais, entenderem que a homossexualidade é um desvio de comportamento, uma doença, ou seja, algo que cause mal à pessoa humana e à sociedade, devendo ser reprimida e tratada e não divulgada e apoiada pela sociedade”.

Ele julgava uma ação popular que questionava estado e município do Rio por destinarem recursos à Parada do Orgulho Gay de 2002. Acabou negando o pedido, mas sua oratória irritou defensores de direitos do segmento.

Na decisão judicial de 1º de abril de 2009, o desembargador usou várias vezes o termo “homossexualismo”, que grupos LGBTI refutam por carregar em si uma conotação pejorativa de doença, para se referir à homossexualidade.

Escreveu à época que homossexuais “devem ter respeitada a sua opção sexual, suas convicções sobre o homossexualismo e os seus demais direitos de cidadão igual ao heterossexual”. Mas fez a ressalva: quem se opusesse ao afeto entre pessoas do mesmo sexo tinha o “direito de lutar, de forma pacífica, para conter os atos sociais que representem incentivo à prática da homossexualidade e, principalmente, com apoio de entes públicos e, muito menos, com recursos financeiros”.

Questionamentos a políticas e festividades LGBTIs não são a única fonte de atrito entre Tavares e alas progressistas da sociedade.

Em agosto, o desembargador questionou a autenticidade de 1.500 cartas feitas por crianças e moradores do complexo da Maré, na zona norte carioca. Elas tinham sido enviadas ao Tribunal de Justiça por uma ONG, como parte de um pedido de restabelecimento de uma Ação Civil Pública que regulamenta as operações policiais na Maré e que fora suspensa em junho.

Os desenhos traziam, entre outros, um helicóptero alvejando pessoas na favela e um policial atirando em um homem negro. Em uma entrevista ao G1, Tavares afirmou que era preciso investigar se havia algo por trás das cartas e sugeriu que elas foram encomendadas.

Foi acompanhado pelo governador fluminense, Wilson Witzel, para quem a manifestação foi manipulada por traficantes e era uma estratégia para intimidar o poder público.

Em 2017, a Amaerj (Associação de Magistrados do Estado do Rio de Janeiro) reproduziu um texto sobre Tavares que destaca sua religiosidade. Frequentador de missas aos domingos, o então corregedor-geral da Justiça disse ser um católico apostólico romano imbuído da obrigação de “ajudar seu semelhante”.

Religioso, Mello Tavares frequenta missas dominicais. Ele leva para o cotidiano um pouco de sua fé e do espírito cristão.