Foto: Divulgação / Instituto Mauá de Tecnologia

Um dos grandes desafios de pais surdos ou que sofrem com a perda significativa da audição é identificar o choro do seu filho quando estes estão fora do seu campo de visão.

Foto: Divulgação / Instituto Mauá de Tecnologia
Buscando uma solução para isso, quatro alunos do curso de Design do Instituto Mauá de Tecnologia criaram a tecnologia SILENCE, um equipamento que alerta pais deficientes auditivos que o bebê está chorando por meio de vibrações emitidas por uma pulseira.

Funciona assim: quando o bebê chora, a pulseira inserida no seu braço, munida de microfones internos, detecta uma alta frequência (o choro) e transmite a informação do que está acontecendo para a pulseira dos seus pais, vibrando-as.

De acordo com os seus criadores, a vibração é forte o suficiente para acordar os dois (se eles estiverem dormindo) ou apenas avisá-los de que o bebê precisa de atenção.

Artur Guiguer, um dos criadores do SILENCE, disse que nenhum deles jamais tiveram qualquer contato com a comunidade surda e a ideia de desenvolver um produto para essas pessoas partiu da ideia de criar um produto cujo impacto social fosse relevante e positivo.

“Nossa intenção é que as pulseiras ajudem a fortalecer o vínculo nas famílias que tem pais surdos e também dar mais autonomia para que possam cuidar dos filhos”, conta Artur.

Para incrementar o produto, os estudantes embutiram na pulseira infantil um rastreador GPS que transmite em tempo real a localização da criança para um visor instalado na pulseira do papai e da mamãe.

“Decidimos incluir o rastreador, porque em uma das palestras que fomos para a comunidade surda, um filho ouvinte de surdos nos contou do dia em que seus pais surdos o perderam no shopping quando era criança. Ele falou sobre a dificuldade que foi para os pais reencontrá-lo porque não encontraram seguranças que falassem libras e não conseguiam pedir ajuda. O GPS poderia ajudar em uma situação como essa”, diz Carlos Peres.

O projeto SILENCE atualmente se encontra em fase de prototipagem e necessita de mais investimentos para que sua versão final seja lançada e chegue aos mercados.

Os estudantes acreditam que com um maior apoio financeiro poderão lançar a tecnologia em breve, estimando em dois anos a chegada do produto às prateleiras. O SILENCE ainda não possui um preço estimado.

Compartilhe o post com seus amigos!

Fonte: Revista Crescer

Deixe uma resposta