Em três anos, o Pará registrou cerca de 600 novos casos de câncer infanto-juvenil. Leucemia, linfoma e tumores no sistema nervoso central são os de maior incidência nessa faixa etária. Se diagnosticada no início, a doença tem maiores chances de cura.

A luta é difícil, e nem sempre os pacientes saem vitoriosos. Mas quem sai, sente a alegria de uma conquista que é difícil descrever. É sentir novamente o doce sabor da vida, com um olhar diferente, e dar esperanças para quem ainda enfrenta a doença.

Em Belém, o Hospital Oncológico Infantil decidiu transformar as vitórias dos pacientes em uma cerimônia mais que especial. Quem consegue se curar, toca o chamado sino da vitória. Uma representação simbólica de uma nova vida que está começando.

De 2015, ano da inauguração do Oncológico, até hoje, mais de 500 crianças e adolescentes tiveram alta. E sempre que precisarem retornar ao hospital, seja por uma consulta de rotina ou de visita, também vão poder tocar o sino.

A equipe do SBT acompanhou de perto uma dessas celebrações da vida. E O Brasil Que Ninguém Fala desta semana mostra em uma reportagem para lá de emocionante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *